/ Notícias

Confira nossas notícias

Produção nacional de aço bruto cresceu 5,1 por cento

24 de Março, 2015

Apesar de ser registrada queda no consumo doméstico, a produção brasileira de aço bruto cresceu 5,1% no primeiro bimestre na comparação com o mesmo intervalo do ano passado. Foram produzidas 5,645 milhões de toneladas, contra 5,373 milhões de toneladas em 2014. O balanço do setor foi divulgado no dia 18/03/15 pelo Instituto Aço Brasil (IABr).

 

Somente em fevereiro, a produção nacional alcançou 2,680 milhões de toneladas. O volume caiu 9,6% em relação ao mês anterior (2,965 milhões de toneladas). Sobre o mesmo intervalo de 2014, quando somou 2,621 milhões de toneladas, houve alta de 2,3%.

 

O desempenho positivo foi impulsionado pelo segmento de semiacabados (placas, lingotes, blocos e tarugos), que cresceu 33,1% nos dois primeiros meses de 2015, ante igual período do ano passado. A produção passou de 828,8 mil toneladas para 1,102 milhão de toneladas.

 

O IABr não explica em seu relatório o motivo da alta significativa neste segmento, porém, entre os fatores que pode explicar o desempenho está o religamento do alto-forno 3 da usina Tubarão da ArcelorMittal, no Espírito Santo, em meados do ano passado. O incremento na produção é voltado para atender à demanda de placas de uma planta do grupo nos Estados Unidos.

 

Somente a produção de placas no país somou 981,1 mil toneladas entre janeiro e fevereiro. O resultado foi 31,2% superior ao registrado no mesmo período de 2014, quando somou 747,9 mil toneladas, conforme o IABr.

 

Já a produção de laminados cresceu 2,6% no primeiro bimestre em relação ao mesmo intervalo de 2014, passando de 4,030 milhões de toneladas para 4,133 milhões de toneladas. O resultado positivo neste segmento foi impulsionado pelos aços planos, com incremento de 10,9% no período.

 

Entre janeiro e fevereiro a produção de laminados planos alcançou 2,490 milhões de toneladas contra 2,245 milhões de toneladas no primeiro bimestre do ano passado. O produto é utilizado por setores como a indústria automotiva e fabricantes de máquinas e equipamentos.

 

Por outro lado, a produção de laminados longos, utilizados em grande parte na construção civil, caiu 8% nos primeiros dois meses deste ano na comparação com 2014. Foram produzidas 1,643 milhão de toneladas, ante 1,784 milhão de toneladas no exercício passado.

 

Consumo - Se por um lado a produção cresceu, o consumo aparente de aço no Brasil recuou 7,4% no primeiro bimestre. O resultado atingiu 3,8 milhões de toneladas, contra 4,1 milhões de toneladas em janeiro e fevereiro de 2014.

 

O consumo aparente contabiliza as vendas internas realizadas pelas siderúrgicas mais as importações de aço no país. No primeiro bimestre, somente as usinas comercializaram 3,118 milhões de toneladas, ante 3,552 milhões de toneladas no mesmo período do ano passado, queda de 12,2%. 

 

Fonte: Instituto Aço Brasil