/ Notícias

Confira nossas notícias

Indústria é estratégica para a retomada do crescimento

15 de Setembro, 2015

alt

A indústria é uma importante aliada no processo de retomada do crescimento econômico do Brasil, segundo o presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), Glauco José Côrte. Ele proferiu na última terça-feira, 1, em Joinville, a palestra de abertura da feira de negócios e congresso voltados ao setor metalmecânico, a Intermach. “A indústria tem um papel relevante na estratégia de retomada do crescimento do Brasil, que deve considerar o setor como o eixo central desta recuperação. Países como os Estados Unidos iniciaram o seu processo de recuperação reconhecendo o papel da indústria e colocando-a no centro da estratégia”, destacou Côrte.

 

O presidente da Fiesc falou sobre os esforços do setor industrial para superar as dificuldades. “Os empresários esperam uma melhoria da economia. Eles revelam que farão novos investimentos e que acreditam na recuperação do nível de emprego”, salientou Côrte. A diminuição da demanda e da produção, o ajuste fiscal em curso, a inflação e os juros elevados, a redução do crédito e a deterioração dos níveis de emprego são alguns dos grandes desafios enfrentados pela indústria. “Temos que dominar este cenário com uma agenda positiva, olhar menos para os problemas e mais para as soluções. Com uma indústria tão diversificada, não podemos ser reféns de uma crise como esta”, argumentou.

 

Seu discurso foi endossado pelo prefeito de Joinville, Udo Dohler. “Precisamos de todo o empenho para voltarmos a ser competitivos e para isso o otimismo é essencial, mas não é mais o suficiente. Passamos por um momento que nos traz muito desconforto. Há uma desordem política e é preciso navegar com segurança nesta crise”, declarou Dohler.

 

Dentre as estratégias promovidas pela Fiesc para estimular o crescimento sustentável da indústria, Côrte destacou o Programa de Desenvolvimento Industrial Catarinense (PDIC), que vai propor ações futuras e promover, no longo prazo, uma dinâmica de prosperidade industrial em 12 setores produtivos; os institutos de inovação e tecnologia do Sesi e do Senai; e o Movimento a Indústria pela Educação, que estimula o setor a promover a qualificação dos seus trabalhadores como forma de elevar a produtividade e a competitividade. Citou ainda as Câmaras Regionais de Educação que estão sendo gradativamente implantadas em todas as vice-presidências da Fiesc.

 

As Câmaras contam com a participação de representantes do setor industrial, dos sindicatos patronais e dos trabalhadores, dos setores de educação da rede pública, além dos jovens embaixadores do programa Conexão Jovem. A iniciativa promoverá a articulação e mobilização dos públicos visando à análise e priorização de ações necessárias em cada região.

 

Fonte: Economia SC

Foto: Heraldo Carnieri/Divulgação